Notícias

Confira as últimas notícias e novidades

Artigo: Angina do peito não é doença mas um conjunto de sintomas

Cardiologista Amilson Pacheco fala sobre o que está por trás da angina do peito

Cardiologista Amilson Pacheco fala sobre o que está por trás da angina do peito

Amilson Pacheco

A angina, ou angina de peito, não é uma doença como muitos pensam, mas sim um conjunto de sintomas. É uma dor torácica transitória ou uma sensação de pressão que se produz quando o músculo cardíaco não recebe oxigênio suficiente.
Angina do peito é, de um modo geral, o resultado de uma doença das artérias coronárias. Mas é também o resultado de outras causas, como a cardiopatia hipertensiva (doença cardíaca causada pela hipertensão arterial) e anomalias da válvula aórtica.
O espasmo da coronária (estreitamento súbito e transitório de uma artéria) também pode causar angina de peito, assim como a anemia grave e as doenças do músculo cardíaco ou miocardiopatias (tipos dilatada e hipertrófica).
Estas doenças caracterizam-se por um aumento das necessidades de oxigênio por parte do músculo cardíaco desencadeando um episódio de dor.
A cardiopatia isquêmica é a principal causa de morte em todo o mundo, responsável por mais de sete milhões de óbitos por ano, sendo a angina do peito sua principal manifestação e respondendo por cerca de metade dos casos iniciais.
Frequentemente, a pessoa sente a angina de peito como uma pressão ou dor por baixo do esterno. A dor pode se espalhar do peito para o interior do braço esquerdo, pescoço e mandíbula e pode estar associada a desconfortos da respiração.
Quando os sintomas são típicos, o diagnóstico costuma ser fácil. O tipo de dor, a sua localização e a sua relação com o esforço, as refeições, o clima e outros fatores facilitam o diagnóstico. No entanto, alguns exames podem ajudar a determinar a origem dos sintomas, bem como a gravidade da isquemia e a presença e extensão de uma doença das artérias coronárias.
O seu médico pode suspeitar que você tenha angina de peito baseado nos sintomas e no risco de doença coronária. O médico irá rever o seu histórico médico para saber se fuma (ou se fumou) e se tem diabetes e pressão arterial elevada, bem como questioná-lo acerca do histórico médico familiar, rever os seus níveis de colesterol, incluindo o colesterol LDL (mau) e o colesterol HDL (bom), e ainda verificar a pressão arterial e pulsação além de auscultar o coração e os pulmões.
Pode ser necessário realizar um ou mais dos seguintes testes de diagnóstico de forma a determinar a causa da angina: eletrocardiograma, teste ergométrico e ecocardiograma. Ainda podem ser realizamos exames mais complexos para confirmação diagnóstica.
O tratamento da angina do peito vai ser baseado na sua etiologia. A de origem por doença coronariana necessita de mudanças de hábitos de estilo de vida, medicamentos específicos e em alguns casos pode haver necessidade de tratamento cirúrgico (cirurgia da ponte de safena) ou percutâneo (angioplastia coronariana).
O tratamento das outras causas de angina do peito como correção de anemia, controle da hipertensão arterial e de outras cardiopatias também podem ser realizado através de medicamentos e/ou cirurgia cardíaca, como por exemplo a correção de valvulopatia aórtica.
Contate o seu médico se tiver dores no peito, mesmo que pense que é demasiado novo para ter uma angina peito e não exista uma história de problemas cardíacos na sua família.

(*) Amilson Pacheco é cardiologista da Santa Casa de Maceió

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Por favor, escolha a área que deseja conversar para que possamos lhe atender.
//
Consultas e Exames
Fale com nossos atendentes
Marcação de Consultas e Exames